HAprog – Hospital de Amor prognósticos

Pacientes oncológicos terminais necessitam de assistência oferecida por equipes multidisciplinares para garantir tratamento de sintomas físicos, sociais e psicológicos. Entretanto, não é tão fácil como se imagina para os médicos preverem a hora certa de começar a inserir esses cuidados no tratamento de pacientes ambulatoriais.

Existem outras ferramentas e modelos de prognósticos para uso na rotina oncológica em pacientes com câncer em fase avançada. No entanto, havia deficiência de ferramentas focadas em pacientes em momento precoce do tratamento, o que ocasionava a introdução tardia de cuidados paliativos e demais tratamentos.

Pensando em melhorar o prognóstico, o HAprog foi desenvolvido por pesquisadores do Hospital de Amor, também conhecido como Hospital do Câncer de Barretos, liderados pelo Prof. Dr. Carlos Eduardo Paiva, como produto da tese de doutoramento do oncologista Dr. Daniel D’Almeida Preto.

O HAprog é uma ferramenta prognóstica para uso ambulatorial que auxilia o médico a definir sobre o início/manutenção/suspensão de tratamentos oncológicos, integrar os cuidados paliativos no momento oportuno, definir sobre internações hospitalares e em UTIs.

 

Também auxilia na decisão sobre emprego ou não de medidas invasivas, fundamentar os processos de planejamentos antecipados de cuidados, dentre outras implicações práticas.

Considerando as dificuldades práticas de se usar um nomograma na rotina oncológica, os idealizadores da ideia se propuseram a revisar o modelo prognóstico inicial, com a intenção de torná-lo mais simples e passível de ser usado na forma de aplicativo.

Os prognósticos do HAprog são utilizados com cautela e de forma complementar a outras métricas clínico-laboratoriais para interpretação e tomada de decisão dos médicos. Diferente do cálculo feito em papel, o aplicativo dinamiza o cálculo agilizando o resultado e auxilia o profissional a encontrar tratamentos melhores.

Para conhecer mais sobre tratamentos oncológicos, acesse Hospital de Amor.