A Jera foi a grande vencedora do Prêmio Nacional de Inovação 2014

O Prêmio Nacional de Inovação é uma iniciativa da Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI) realizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), com apoio do Movimento Brasil Competitivo (MBC), do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), Instituto Euvaldo Lodi (IEL), Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), e do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

É considerado o prêmio nacional de maior importância na área de inovação, com mais de 2.200 empresas inscritas concorrendo em 10 categorias. A Jera participou na categoria Agente Local de Inovação (ALI) na área de Serviços. A relação completa dos finalistas está disponível aqui.

O prêmio acontece em 6 etapas: análise preliminar, entrevistas de avaliação (online), 1ª banca de juízes, visitas de avaliação (presencial), 2º banda de juízes e a cerimônia de premiação onde são anunciados os vencedores.

A cerimônia aconteceu durante o 6º Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria em São Paulo na última quarta-feira, dia 13/5, evento recheado de palestras relevantes com destaques brasileiros e estrangeiros em 2 dias de congresso.

Ficamos imensamente felizes por esse reconhecimento. Nós apresentamos aos avaliadores nosso esforço de inovação no dia-a-dia para oferecer a melhor experiência de desenvolvimento que nossos clientes já tiveram e os resultados que alcançamos ao longo do tempo com esse trabalho.

Gostaríamos de agradecer imensamente todo nosso dedicado time que tem inovação no sangue, nossos clientes que nos dão diariamente a oportunidade de aprendermos a nos tornar cada vez melhores e ao SEBRAE pelo apoio desde o início, não medindo esforços para tornar essa conquista possível, em especial nossa ALI, Greicy Rodrigues, pela dedicação com a nossa empresa.

Confira as fotos da premiação no nosso Facebook e o vídeo e discurso na cerimônia de premiação:

Veja mais notícias sobre a premiação:

Steve Jobs, quem?

Acredito que nossos leitores saibam muito bem quem foi Steve Jobs. Na última semana só se falou sobre isso em todos os canais e meios de comunicação. Sim, agora sua avó sabe quem foi Steve Jobs.

Mas, como todo mártir, ele não chegou lá por acaso. Foi antecipada para 24 de outubro o lançamento da sua biografia oficial. Todos nós que nos inspiramos no cara aguardamos com bastante ansiedade sabe mais sobre a vida dele.

Para quem fica, um vídeo que é muito legal e que diz muito sobre sua história, é o famoso discurso para os formandos de Stanford:

Descanse em paz Steve!

Originalmente publicado no StartupMS em http://startupms.com.br/videos/steve-jobs-quem/

Persistência ou Insanidade?

Uma ideia é como um vírus: uma vez despertada, ela corrói o organismo de dentro para fora na incessante busca de realização. As ideias podem ser perigosas no sentido de se tornarem tão resistentes a ponto de transformar o indivíduo por completo, bem como todo o seu futuro e o das pessoas à sua volta.

Trecho extraído do filme: A Origem

Eu concordo plenamente com a afirmação de Christopher Nolan no excelente filme “A Origem”. Quando colocamos uma idéia na cabeça (como se diz na linguagem popular) é difícil de alguém nos impedir de prosseguir em busca de realiza-la.

Toda semana a gente recebe na Jera pessoas com ideias para serem desenvolvidas. Na cabeça de várias pessoas, só falta um desenvolvedor para que sua idéia de negócio digital seja um sucesso. Muitas pessoas vem conversar com a gente sem muito embasamento sobre como seu negócio vai gerar retorno ou até como seria viável lança-lo.

É fato de que quando acreditamos em uma ideia ficamos míopes para os pontos negativos de realiza-la. Existem pessoas que levam isso a um nível extremo, que passa pela teimosia, chegando à insanidade. O vídeo abaixo ilustra bem claramente o que estou dizendo:

Perceba que o inventor do Bullet Ball, Marc Griffin, fala com bastante convicção sobre sua idéia. Ele começa a conversa falando que o Bullet Ball um dia será um esporte olímpico! É realmente um objetivo ambicioso, mas talvez ele esteja muito relutante em escutar a opinião das pessoas. Quem sabe, esse feedback ajude-o a melhorar sua invenção ou de fato entender que sua proposta não tem real potencial de alcançar seu objetivo. Veja alguns comentários sarcásticos sobre o vídeo aquiaqui e aqui.

Por outro lado, olhando para o Marc Griffin, me pareceu que o negócio dele está gerando receitas o bastante para bancar seus custos. Me pareceu que o Bullet Ball encontrou um foco em clínicas de reabilitação. Ou não, pois até pouco tempo atrás o website deles estava vendendo a mesa por $44.00. Hoje o site já não está mais no ar.

Sinceramente, eu acho que o grande problema é a expectativa que as pessoas colocam nas suas ideias. Recentemente sofremos muito por isso na Jera. Criamos uma expectativa muito maior do que aquilo que estava ao nosso alcance e, no final das contas, a frustração foi grande.

Eu tenho escutado bastante que todo empreendedor de sucesso escutou várias que é um louco, que suas ideias não fazem sentido, acaba virando motivo de piada. Até ele provar que sua ideia funciona. Alguns negócios levaram anos para decolar, outros nunca sairão do chão. Muito do que temos visto sobre negócios digitais de sucesso no Brasil, estes serem produtos de uma série de fatores que muitas vezes nem os fundadores conseguirão explicar.

Acredito que hoje temos ferramentas que nos ajudam a validar se nossa ideia resolve um problema que vale a pena ser resolvido. Steve Jobs, Mark Zukerberg, e outras pessoas brilhantes que criam mercados e ditam tendências são exceções! Faça uso de técnicas para testar sua ideia, construa expectativas realistas e invista seu tempo e dinheiro com os pés no chão e sempre aprendendo!

Boa semana e boas ideias!